Blog criado em Janeiro/2009 direcionado a expor conceitos, idéias e interpretações sobre a área de práticas contábeis em geral com observação aos preceitos das áreas tributária, trabalhista, encargos sociais e obrigações acessórias que com frequencia são modificadas. Críticas, sugestões de melhorias ou pedidos de temas poderão ser sugeridos nos comentários de cada postagem ou alternativamente pelo e-mail rcgimenez.assessoria@gmail.com

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Fundo Fixo de Caixa

Independentemente do porte da empresa, geralmente a conciliação bancária é um árduo trabalho e a situação pode mais ainda se agravar se dentro das políticas internas da empresa houver a prática de se pagar várias contas com um mesmo cheque ou diversas contas com cheques diferentes.

Neste contexto, nem sempre o valor do cheque emitido coincide com o total das contas pagas, sobrando algum troco ou faltando alguns trocados, sem contar que em certas ocasiões o histórico da cópia de cheque é incompleta ou genérica demais.

Mesmo que o valor excedente ou faltante seja modesto, ou um histórico dúbio, forçosamente os procedimentos de conciliação bancária e conseguinte contabilização dos fatos consome mais ainda do precioso tempo do profissional, ou então, o responsável pelo caixa pode perder tempo demais com a necessidade de sempre ter de estar solicitando cheques para o setor competente.

Visando dinamizar o controle do movimento de caixa e consequentemente bom nível de confiança na contabilização dos pagamentos de contas corriqueiras e de valor baixo, muitas empresas empregam o fundo fixo de caixa (ou caixa pequeno), que de sobremaneira contribui positivamente para com o andamento dos trabalhos contábeis.

Para ler um texto objetivo sobre a implantação e utilização de um fundo fixo de caixa, dê  um clique aqui
Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF